Outros temas

População de homens negros nos EUA sofre mais com o HIV

De acordo com o Centro para Prevenção e Controle de Doenças (CDC), nos Estados Unidos, os homens negros têm mais probabilidade de contrair o HIV do que os homens de qualquer outra raça/etnia. Homens negros que fazem sexo com outros homens (HSH) apresentam chance ainda maior e crescente de contrair o vírus.

A boa notícia é que uma série de terapias relativamente novas vem trazendo bons resultados para pessoas em risco de infeção pelo HIV, como a profilaxia pré-exposição (PrEP), e para as pessoas vivendo com HIV, como a terapia antirretroviral. Ainda assim, uma grande parte dos homens negros em risco não faz uso da PrEP, não recebe um diagnóstico de infecção por HIV e não faz uso da terapia antirretroviral.

Em 2018, os negros eram apenas 13% da população dos EUA, mas representavam 42% dos novos diagnósticos de HIV, de acordo com o CDC. Naquele ano, quase 38 mil novos casos de HIV foram diagnosticados no país, entre estes, 11.905 em homens negros e, destes, 9.444 em HSH negros.

Diagnósticos de HIV em homens negros estão ligados ao contato sexual, principalmente, de homem para homem (79% dos casos); contato sexual de homem para mulher (15% dos casos); uso de drogas injetáveis (4%); e contato sexual de homem para homemque faz uso de drogas injetáveis (2%).

As taxas de diagnóstico de HIV estão diminuindo na maioria das populações dos Estados Unidos. No entanto, o CDC informou que os novos diagnósticos aumentaram de 2014 a 2018 em HSH negros com idades entre 25 e 34 anos. Em 2016, o Centro já havia chamado a atenção para as altas taxas de negros vivendo com HIV, quando destacou as disparidades raciais na epidemia.

“O CDC projetou que, a menos que algo mude, metade de todos os homens negros de qualquer idade que fazem sexo com homens se tornará HIV positivo durante a vida”, relatou Rashaan Gilmore, fundador e diretor executivo da BlaqOut, organização que se concentra em abordar os desafios ambientais e psicossociais que os HSH negros enfrentam.

O CDC constatou ainda que 18,8% dos HSH negros que são HIV negativos tomaram PrEP nos últimos 12 meses, a partir de 2017, porcentagem que está bem abaixo dos 30,9% dos HSH brancos HIV negativos que relataram o uso da profilaxia.

Fonte: Health Line, 27 de abril de 2021

https://www.healthline.com/health/hiv-aids/black-men-hiv-transmission-stats