Notícias Últimas

Centros de estudos do ImPrEP iniciaram as suas atividades

Texto escrito por  Leonardo Linconl (Ascom/ImPrEP)*

Dez dos quinze centros acionados estão incluindo participantes ao projeto

O ImPrEP, Projeto para Implementação da Profilaxia Pré-exposição ao HIV no Brasil, México e Perudesde a aprovação do protocolo do estudo, em meados de 2017, vem trabalhando para equipar e capacitar os centros de estudos que fazem parte do projeto. Até o momento, aqui no Brasil, dez dos quinze centros de estudos já estão incluindo participantes no ImPrEP, são eles: Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz/RJ), no Rio de Janeiro, o Centro de Referência e Tratamento em DST/HIV/AIDS (São Paulo, SP), Serviço de Assistência Especializada em HIV/Aids Ceci (São Paulo, SP), SAE  DST/AIDS – Fidélis Ribeiro (São Paulo, SP), Serviço de Atenção Especializada – Adultos (Santos – SP), Fundação de Medicina Tropical/Heitor Vieira Dourado (Manaus-AM), Centro Municipal de Saúde Duque de Caxias (Duque de Caxias, RJ), Hospital Sanatório Partenon/SAT/CTA (Porto Alegre – RS), CTA/Policlínica Centro (Florianópolis – SC) e o SAE do Hospital Universitário Oswaldo Cruz UPE  (Recife – PE). A seleção dos centros participantes do projeto foi conduzida pelo Ministério da Saúde, juntamente com a equipe do  ImPrEP. O critério de seleção foi baseado nos centros que já ofereciam serviços de testagem e aconselhamento para o HIV e/ou a PEP (Profilaxia Pós-Exposição). A previsão é de que todos os centros de estudos do projeto sejam operacionais até finais de Junho de 2018.

O PROCESSO DE ATIVAÇÃO  – Como um centro passa a incluir participantes

Todos os centros de estudo do ImPrEP passam pela aprovação do Comitê de Ética e Pesquisa (CEP) local, que avalia o protocolo do estudo, e assegura que as boas práticas clínicas e de respeito à pesquisa com seres humanos serão observadas. Posteriormente à aprovação do CEP, é realizado a capacitação da equipe do centro, o envio e o recebimento dos medicamentos e equipamentos necessários, a readequação do Sistema de Controle Logístico de Medicamentos (Siclom) à pesquisa. Apenas depois de todos esses processos e práticas os centros são considerados aptos à implementação dos procedimentos do estudo ImPrEP e a distribuição da PrEP.

A coordenadora do estudo doSAE  DST/AIDS – Fidélis Ribeiro, Serviço de Atenção Especializada – Adultos, Bruna Coronato, ressaltou a importância da Implementação da PrEP, lembrando que, junto com outros empenhos, uma grande adesão à PrEP trará uma redução considerável da incidência do HIV no Brasil. “E este público”, complementou,  “já frequenta nosso serviço de CTA e SAE. Temos projetos de agentes de prevenção e de ambulatórios trans em andamento”, informou Bruna, enfatizando os objetivos do centro em relação ao ImPrEP. “Ter e capacitar profissionais empenhados no campo da pesquisa em saúde e concretizar a PrEP como um serviço de excelência”, concluiu.

Equipe ImPrEP Florianópolis (da esquerda para direita) Técnico de laboratório - Guilherme Zirbel (Graduando em fase de Conclusão - Farmácia) ,Coordenadora ­ Emília Regina Scharf Mettrau (Farmacêutica) ,Luciana de Souza Cardoso Calegari (Farmacêutica) ,Pesquisador -Dr. Ronaldo Zonta (Médico de família e Comunidade) , Aconselhador ­ Débora Cristina Dolzan (Assistente Social) .

Emília Regina Scharf Mettrau, coordenadora de Estudo Clínico/CTA-Policlínica Municipal Florianópolis, SC, lembrou a importância de mais projetos com metodologias de prevenção: “O Brasil está entre os países onde a incidência de novas infecções com HIV é crescente e a mortalidade se mantém estável ao longo dos anos”, afirmou. “A expectativa é que a PrEP se mostre eficaz e segura, corroborando para que este investimento seja válido e que seja inserido nos programas nacionais de prevenção do HIV. Além disso, espera-se que, através do sistema de atendimento e aconselhamento sobre esta profilaxia, ocorra uma disseminação de informação sobre as formas de prevenção combinada”, destacou.

 

DESAFIOS

Juan Vicente Guanira, diretor clínico do ImPrEP para os centros de estudo localizados em Lima, Peru, informa que o principal desafio para implementação da PrEP no seu país é “o compromisso de tempo do pessoal dos centros para realizar os treinamentos, as atividades de divulgação do estudo ImPrEP e o fornecimento de informações sobre o que é PrEP e PEP à população alvo do projeto”, ressaltou. “Acreditamos que alcançaremos nossa meta de inclusão de participantes dentro das expectativas”, concluiu.

Julio Espinoza, coordenador do INMENSA (Pesquisa Médica em Saúde) em Lima/Peru, pontua que, “o principal desafio é incluir os participantes em um curto espaço de tempo, para o qual precisamos ajustar as horas de atenção dos médicos. “Outro desafio é transmitir informações corretas para os participantes. Fizemos a pesquisa do iPrEx, onde a eficácia do Truvada foi comprovada e agora temos estudos da indústria farmacêutica e estamos atendendo pacientes vivendo com HIV (público em geral)”, esclarece.

 

CLÍNICA INMENSA

É uma organização independente, sem fins lucrativos, dedicada à pesquisa e à promoção da saúde e à obtenção do bem-estar. Os profissionais de saúde que compõem o centro unem esforços para assumir o compromisso de colocar seus conhecimentos e habilidades a serviço da comunidade na busca do bem-estar social. Além disso, a clínica atua no estudo do IPrEx e no IPREX-OLE. Além de atender pessoas que procuram os serviços de prevenção ao HIV, oferecem o  serviços de cuidados para Pessoas Vivendo Com HIV/Aids (PVHA) e fornecem o tratamento antirretroviral através de um acordo com o Ministério da Saúde. E fazem distribuição de  PEP e PrEP às pessoas que solicitam.

MÉXICO

No México, a Clínica Especializada Condesa é o principal implementador do projeto, situada na Cidade do México e no estado de Jallisco. No momento, o processo de implementação do ImPrEP está em andamento devido as questões de registro do medicamento no país.

O ImPrEP

Financiado pela Unitaid e apoiado pela Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec) da Fiocruz, o ImPrEP terá duração de três anos, deve beneficiar, no total, 7.500 pessoas e será realizado por um consórcio constituído por centros de pesquisa e Ministérios da Saúde dos três países participantes.  Além de oferecer acesso à PreP, o projeto propiciará também a ampliação do diagnóstico das Hepatites B e C, Sífilis, HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis. Para saber mais onde buscar a PrEP, acesse: http://imprep.org/locais-que-disponibilizam-a-prep/

Foto 1:

Equipe ImPrEP Florianópolis (da esquerda para direita)
Técnico de laboratório – Guilherme Zirbel (Graduando em fase de Conclusão – Farmácia) ,Coordenadora ­ Emília Regina Scharf Mettrau (Farmacêutica) ,Luciana de Souza Cardoso Calegari (Farmacêutica) ,Pesquisador -Dr. Ronaldo Zonta (Médico de família e Comunidade) , Aconselhador ­ Débora Cristina Dolzan (Assistente Social)

Foto 2:

Treinamento Clínica Imensa – Gino Calvo, Juan Guanira, David Diaz, Julia, Javier Navarro, Luis Cabrera, e Kelika Konda . Abaixo: Julio Espinoza y Alex Carpio

*Com a colaboração de Marcos Benedetti (ImPrEP).