Objetivos

Iniciado em janeiro de 2018, o projeto ImPrEP é realizado no Brasil, no México e no Peru com o objetivo geral de abordar os aspectos estratégicos sobre a implementação da profilaxia pré-exposição (PrEP), servindo como um passo de preparação para o lançamento de serviços integrados da PrEP nos três países. Essas nações foram selecionadas porque relatam uma alta taxa de HIV na região.

O Brasil tem o maior número de casos de AIDS e representa mais de 40% de todas as novas infecções na região. Mais 41% do total de novas infecções ocorrem em sete países, incluindo o México e o Peru. Apesar de serem países de renda média, o Brasil, o México e o Peru têm a desigualdade como característica comum. Nos três países,  gays, homens que fazem sexo com homens (HSH), travestis e transexuais formam as populações-chave deste projeto por enfrentarem níveis elevados de estigma e discriminação, além de uma taxa de HIV comparável às populações de vários países africanos.

A colaboração estratégica entre o Brasil, o México e o Peru aborda esse desafio, gerando e aplicando evidências robustas da pesquisa de implementação da PrEP nos três países. Espera-se que os resultados do projeto sejam utilizados para subsidiar estratégias programáticas para implementar e ampliar programas de PrEP viáveis, equitativos, econômicos e sustentáveis. Isso contribuirá para maximizar o impacto da saúde pública na redução da incidência do HIV nos três países.

O ImPrEP é uma iniciativa da Fiocruz – Fundação Oswaldo Cruz, em parceria com o Ministério da Saúde do Brasil, a Universidade Peruana Caetano Heredia, a Clínica Condesa e o Instituto Nacional de Saúde Pública, ambos do México. O projeto conta com apoio financeiro da Unitaid.

SERVIÇOS INTEGRADOS

O governo brasileiro já oferece a PrEP como política pública de saúde em alguns serviços especializados no SUS. Os governos peruano e mexicano apóiam,de forma parcial serviços que ofertam PrEP com a doação gratuita de antirretrovirais.

A missão do ImPrEP é, por meio de estudos e pesquisas, reunir subsídios para comprovar os benefícios da implantação de serviços integrados, ou seja, ampliar a ação para além da oferta da medicação, com o incremento de controles clínicos, informação e educação de pares, diagnóstico e tratamento das infecções sexuais transmissíveis (IST) e aconselhamento e acompanhamento psicológico das pessoas que optarem por aderir à PrEP.

Além dos estudos e pesquisas, o ImPrEP realiza atividades de recrutamento, retenção e monitoramento de cerca de 7,5 mil participantes voluntários dos três países, 3,5 mil deles no Brasil.