Espaço HSH Outros temas

Mudanças de prevenção ao HIV entre gays e bissexuais australianos

Houve uma mudança rápida e histórica na prevenção do HIV entre homens gays e bissexuais australianos. Esse foi o resultado de uma análise de pesquisas realizadas durante cinco anos. Embora o uso consistente de preservativo tenha caído consideravelmente, a aceitação da profilaxia pré-exposição (PrEP) ao HIV fez com que a ‘cobertura de prevenção’ tenha aumentado. O estudo, de Martin Holt, da Universidade de New South Wales, foi publicado na edição de abril da revista AIDS.

Os dados do estudo vêm de 32.048 repostas às pesquisas periódicas da comunidade gay da Austrália, conduzidas de 2014 a 2019. Os participantes foram recrutados em locais e eventos destinados ao público gay e em sites e aplicativos de encontros. Metade dos participantes tinha entre 27 e 45 anos, com a maioria se identificando como gay (90%) ou bissexual (7%) e tendo nascido na Austrália (70%). O status de HIV foi relatado como negativo por 82% dos entrevistados, como positivo por 10% e como desconhecido por 8%.

As pesquisas repetidas por cinco anos permitiram comparações ao longo do tempo. Questionados sobre sexo com parceiros casuais nos últimos seis meses, as respostas foram:

– Não fazer sexo anal com parceiros casuais: 18% em 2014 e 15% em 2019;

– Uso consistente de preservativo: 45% em 2014, caindo para 23% em 2019;

– Percentual de homens que usava PrEP e fazia sexo sem preservativo: 0,7% em 2014, subindo para 31% em 2019;

– Fazer tratamento antirretroviral e ter carga viral indetectável:  4,8% em 2014 e 5,8% em 2019;

– Sexo sem preservativo, informado por homens HIV negativo ou não testados: 30% em 2014, caindo para 25% em 2019;

– Sexo sem preservativo, informado por homens vivendo HIV com carga viral detectável: 1,6% em 2014, caindo para 0,6% em 2019.

Enquanto os homens que relataram as duas últimas práticas citadas acima corriam risco de contrair o HIV, os participantes das quatro primeiras estavam cobertos pela prevenção. Somando os números das quatro primeiras práticas, a cobertura de prevenção aumentou de 68% para 75% no período de cinco anos.

“Nossa análise de dados de vigilância comportamental demonstrou uma mudança histórica nas práticas sexuais de homens gays e bissexuais australianos”, afirmou Holt. “Entre 2014 e 2019, a estratégia de prevenção do HIV mais comum entre esse público mudou do uso do preservativo para a PrEP”, finalizou o professor.

Fonte: site do Aidsmap, de 12 de abril de 2021.

(https://www.aidsmap.com/news/apr-2021/fewer-condoms-more-safer-sex-historic-shifts-among-australian-gay-and-bisexual-men)

Link para o estudo: https://journals.lww.com/aidsonline/Abstract/2021/04010/Increasing_preexposure_prophylaxis_use_and__net.15.aspx