Espaço HSH Outros temas

Aumentam os casos de linfogranuloma venéreo entre gays na Inglaterra

Os diagnósticos de linfogranuloma venéreo de infecção sexualmente transmissível (LGV), na Inglaterra, atingiram níveis recordes em 2019, com quase todos os casos envolvendo homens gays e bissexuais (95% da população estudada). Os dados constam no relatório publicado pela Public Health England, em dezembro de 2020, e mostram que o número de diagnósticos vem aumentando continuamente desde 2017.

Os diagnósticos de LGV se concentravam anteriormente em gays que vivem com HIV, mas o último relatório mostra que houve um grande aumento nos casos entre homens HIV negativos ou de condição sorológica desconhecida, refletindo mudanças no comportamento sexual relacionadas ao uso da profilaxia pré-exposição ao HIV (PrEP) e consciência da mensagem I = I (indetectável = intransmissível). Os casos de LGV envolvendo gays HIV negativos ou de condição sorológica desconhecida representaram, no quarto trimestre de 2019, mais de 60% dos diagnósticos do Reino Unido.  

Tratada com três doses semanais do antibiótico doxiciclina, o LGV é causada por uma cepa de clamídia. A infecção era muito rara no Reino Unido até 2003, quando os casos começaram a ser diagnosticados entre homossexuais que vivem com HIV. Todos os diagnósticos envolvem infecção retal e estão ligados ao sexo anal sem preservativo.

A principal descoberta do último relatório da Public Health England é que os casos de LGV em 2019 estavam em seu nível mais alto desde o ressurgimento da infecção em 2013. Houve 1.133 casos relatados por laboratórios, um aumento de 33% em relação a 2018, e 1.076 casos relatados por clínicas de saúde sexual. Esse número representa um aumento de 56% em relação ao ano anterior.

Dois terços dos diagnósticos da infecção foram registrados em homens entre 25 e 44 anos, um aumento de 46% nessa faixa etária. O número de casos entre os homens nascidos no Reino Unido teve aumento de 79% e entre nascidos em outros países foi de 116%. Três quartos dos casos de LGV ocorreram em Londres, onde os diagnósticos aumentaram em um terço entre 2018 e 2019. 

Fonte: site do Aidsmap, de 6 de janeiro.

(https://www.aidsmap.com/news/jan-2021/number-lgv-cases-among-gay-men-england-reach-new-highs-and-most-cases-among-men-who)