Outros temas

Estudo investiga ganho de peso em pessoas que iniciam tratamento contra o HIV

Um estudo, liderado por Stephanie Ruderman, da Universidade de Washington (EUA), publicado no Journal of Acquired Immune Deficiency Syndrome, em 28 de outubro, concluiu que o ganho de peso em cerca de 2 a 4 kg é maior em pessoas que vivem com HIV que tomam bictegravir ou dolutegravir como parte de sua primeira terapia antirretroviral (TARV). Efeito semelhante foi relatado em pessoas que usaram o inibidor de protease darunavir.

Os inibidores de integrase ainda são uma classe relativamente recente de antirretrovirais. Existem evidências crescentes de uma ligação entre seu uso e ganho de peso, bem como preocupações cada vez maiores sobre esse resultado nas pessoas que vivem com HIV. No entanto, a maioria dos estudos sobre o assunto apresentam limitações, como o recrutamento de poucos participantes, a não representação de suas diversidades étnicas e a não inclusão do bictegravir, além de outros medicamentos que afetam o peso.

Essas considerações levaram Ruderman e equipe a conduzirem um grande estudo de coorte retrospectivo. O objetivo foi avaliar diferenças de variação de peso por esquema antirretroviral em pessoas que vivem com HIV, a partir do momento em que iniciaram a TARV. 

Os pesquisadores usaram dados de 3.232 pessoas que iniciaram seu primeiro TARV, contendo três ou mais antirretrovirais, entre 2012 e 2019. Esses dados foram coletados em oito centros nos Estados Unidos (Centros de Rede de Pesquisa de AIDS de Sistemas Clínicos Integrados).A idade média em todo o estudo foi de 37 anos.Havia apenas 505 mulheres (16%) na coorte.O tempo médio de acompanhamento no primeiro esquema de TARV foi de um ano e nove meses.

A mudança de peso foi medida em indivíduos que tomaram os 11 esquemas de TARV mais comuns durante os primeiros seis meses de tratamento e também em todas as visitas de acompanhamento.

Para identificar o impacto específico de diferentes esquemas, os pesquisadores ajustaram suas análises para idade, sexo, raça/etnia, coinfecções por hepatite B e C, diabetes, tabagismo, uso recente de medicação antipsicótica, tempo de TARV, interação do tempo com TARV e esquema, entre outros itens. A coorte era etnicamente diversa: 45% participantes eram negros, 35% brancos, 13% hispânicos e 7%pertenciam a outras etnias. O peso inicial médio foi de 79kg e o Índice de Massa Corporal (IMC) inicial foi de 26kg/m2.

Os participantes de todos os regimes ganharam peso após o início da TARV. Aqueles que estavam começando o tratamento com efavirenz (EFV/TDF/FTC) ganharam, em média, 0,71kg a mais do que os outros esquemas nos primeiros seis meses.Durante um acompanhamento mais longo, superior a um ano, o ganho de peso foi maior em participantes de esquemas baseados em bictegravir (BIC/TAF/FTC)e dolutegravir (DTG/TAF/FTC). Proporcionalmente, as alterações de peso foram semelhantes em todos os participantes, independente do IMC inicial de cada um.

Fonte: site do Aidsmap, de 11 de dezembro de 2020.

(https://www.aidsmap.com/news/dec-2020/more-weight-gain-people-starting-hiv-treatment-newer-integrase-inhibitors-or)

Link para o estudo: https://journals.lww.com/jaids/Abstract/9000/Weight_gain_following_antiretroviral_therapy__ART_.96028.aspx